Se você está pensando em começar a vender marmitas, saiba que existem algumas boas práticas a serem seguidas. Elas dão conta do seu cardápio e também ao melhor atendimento ao cliente. Confira!

Quer começar a vender marmitas

Muitas pessoas estão se reinventando e abrindo cada vez mais negócios próprios. Dessa forma, tornam-se seus próprios chefes. E o mais legal é a possibilidade de utilizar dos hobbies para conseguir um faturamento extra — ou até mesmo fazer como renda principal. Uma das atividades que se destaca é a venda de marmitas.

Muitos acreditam ser uma tarefa bem simples, mas é exatamente ao contrário. Quando estamos falando de um negócio que envolve o paladar, é preciso pensar desde as questões sanitárias, até o gosto dos clientes. Além de pensar nas ferramentas necessárias, como é o caso das melhores panelas do mercado.

Para somar, existe toda uma logística envolvida neste meio. Afinal, as entregas serão enviadas até os clientes ou eles precisam retirar no local? Por mais que o assunto até agora pareça complexo, acredite, com criatividade e vontade de colocar a mão na massa (literalmente e metaforicamente) o negócio pode dar certo!

A primeira dica de cara é procurar fazer networking e recolher insights de quem já trabalha no meio. Se um problema encontrado durante a iniciativa de começar a vender marmitas parece muito complicado, tenha a certeza que outro empreendedor já passou por uma situação semelhante. Não tenha medo de perguntar!

Outro ponto a ser considerado é: como meu negócio pode se destacar dos demais? Qual é a minha especialidade? Antes mesmo de começar a abrir as portas, tenha a certeza que todas essas perguntas serão respondidas, pois elas serão o norte guiador do seu novo empreendimento.

Quer mais dicas práticas para começar a vender marmitas? Neste artigo, apresentaremos as x principais! Para conferir ainda mais e não perder nada, basta continuar a leitura!

1. Faça uma pesquisa de público


Agora que você já tem clara a vontade de vender marmitas, que tal saber qual a necessidade do seu público. Você pode, por exemplo, perguntar aos vizinhos quantas refeições costumam pedir por dia e também o valor pago. Assim, você saberá em qual tipo de refeição apostar.

Outro ponto importante é reconhecer o local onde as marmitas serão entregues. É mais comercial ou é um bairro? As pessoas são de qual classe social? Ao responder às perguntas, você terá uma noção de quanto cobrar ou até mesmo a quantidade de alimentos preparados por dia.

2. Pense em todas as ferramentas necessárias


Antes mesmo de abrir as portas, pense em todas as ferramentas necessárias para a preparação e distribuição das suas marmitas. Isso é válido desde o abridor de garrafas até o tipo de fogão. Tudo dependerá do tipo de refeição a ser preparada e distribuída.

Uma preocupação que deve estar relacionada com as ferramentas é a limpeza e até mesmo o aval para o funcionamento do negócio. Garanta que os seus clientes receberão marmitas de qualidade e que não sofrerão qualquer tipo de dano físico. Isso também auxilia para que o empreendimento não feche por irregularidades.

3. Pense em formas de vender online


Hoje em dia as pessoas procuram por comodidade, por isso elas vendem suas marmitas em aplicativos de mensagem ou de delivery. Não fique de fora dessa onda, pois ela não é passageira. Pense em como vender as marmitas de forma física e também online.

É possível apostar na comercialização por meio do WhatsApp, por exemplo. Para que todo o processo seja ainda mais bem-sucedido, reserve um tempo ou uma pessoa para anotar todas as solicitações e dê um prazo de entrega compatível com a demanda do dia.