União de espaços otimiza o local e envolve os moradores e convidados em um único ambiente com duas funções

Como montar uma cozinha com sala de jantar integrada

Ambientes integrados são uma das principais tendências da arquitetura contemporânea. Com forte presença nas construções residenciais de países da Europa e nos Estados Unidos, esse tipo de estratégia arquitetônica ganhou, nas últimas décadas, espaço cativo na casa daqueles que buscam tornar o ambiente doméstico mais moderno.

Entre as principais maneiras que essa integração é manifestada, a da cozinha e da sala de jantar é uma das mais populares. Além de ampliar o espaço do ambiente integrado, essa união faz com o ambiente comporte, em um evento, mais convidados. Isso porque é comum, mesmo com a integração, mantermos na cozinha a clássica e funcional mesa com 4 cadeiras.

Tirando a cozinha do isolamento


Dependendo de como os cômodos da casa são dispostos, a cozinha pode se tornar um ambiente isolado da casa, quase íntimo, e com pouca vida social. Isso é especialmente verdade para casos em que a cozinha é muito pequena e não comporta a presença de muitas pessoas ao mesmo tempo no ambiente.

Nesse sentido, integrar a cozinha à sala de jantar não somente vai tirá-la do isolamento, mas também ampliar o seu espaço e campo de visão.

Uma das maneiras mais efetivas de fazer isso, em relação à arquitetura, é substituir a parede que separa os dois cômodos por uma bancada. Assim, mesmo que isso, na prática, não amplie o espaço útil da cozinha, possibilita sua integração efetiva.

Em um evento social, por exemplo, os convidados e o cozinheiro estarão em contato direto, deixando a reunião bem mais dinâmica.

Quem tiver espaço suficiente poderá ainda investir em banquetas ou cadeiras altas para fazer da bancada também um espaço de refeições rápidas ou consumo de drinks.

Uma terceira opção pode, ainda, unir as duas ideias, com cadeiras do lado da cozinha e banquetas do lado da sala de jantar. Desta maneira, cria-se um ambiente de bar de um lado e de café da manhã do outro.

Integração total


Além das bancadas, é cada vez mais comum que não exista nenhuma barreira física entre os dois ambientes, tornado a integração completa. Quem tem cozinha e sala grandes poderá, ainda, investir em uma ilha central na cozinha, o que deixará o espaço ainda mais dinâmico e integrado mas contribuirá para a delimitação do espaço da cozinha.

Para os mais criativos e ousados, vale ainda usar pisos diferentes em cada um dos espaços, mesmo com a ausência da parede. Além de divertido, isso te proporciona, por exemplo, manter o piso de madeira na sala de jantar, vez que esse material não é recomendado para cozinhas.

Para além das paredes


Mas seja com bancadas, portais ou a ausência total de paredes, essa integração merece alguns outros pontos de atenção. Entre os principais, estão a instalação de uma coifa ou de um depurador no ambiente do fogão.

Isso porque, apesar da integração oferecer muitas vantagens, é essencial que pensemos na saída de ar do ambiente da cozinha para que os aromas e resíduos do preparo de alimentos não invadam outras partes da casa.

Em especial, essa instalação evitará que gordura do preparo se espalhe por outros cômodos e até mesmo danifique suas superfícies.

Outro ponto a ser observado na integração é o aspecto visual do espaço. Agora, mais do que nunca, é importante que a decoração da cozinha e da sala de jantar estejam alinhadas, vez que elas se tornaram, de uma maneira ou de outra, um único ambiente.

Essa dica vale especialmente para a disposição dos armários e sua capacidade. Isso porque, com uma cozinha mais social, é interessante que todos os objetos e utensílios não estejam a vista quando não estão sendo utilizados. Assim, invista em modelos que caibam tudo que você tem.

Armários minimalistas da cozinha, vale dizer, combinam com qualquer estilo de sala de jantar e são uma ótima saída para integrar as decorações. Mas ainda dá, é claro, para brincar com a combinação dos elementos e a dica dos pisos diferentes é uma prova disso.