Entenda o que precisa ser feito para você financiar o seu imóvel sem sustos. 

Entre os brasileiros que sonham em ter a casa própria, um grupo destaca-se: filhos que querem sair da casa dos pais para traçarem o próprio caminho. Essa mudança é vista como uma forma de conquistar a independência e ter uma vida para si. 

Sair da casa dos pais

Assim, essas pessoas procuram estudar as opções de financiamento para encontrar aquela que melhor pode atendê-las. O processo consiste em um banco disponibilizar uma linha de crédito ao cliente que lhe permita comprar um imóvel. Em contrapartida, o indivíduo paga parcelas, com juros embutidos, até quitar o que foi emprestado.

Cada instituição irá determinar as próprias regras e modalidades para esse tipo de financiamento. Assim, é importante que os interessados façam uma pesquisa detalhada sobre as condições de cada um dos bancos, até encontrar aquelas que atendam às suas necessidades, com boas opções de pagamento. 

Vantagens


Optar pelo financiamento imobiliário permite que a pessoa desfrute de algumas vantagens. A principal delas é finalmente realizar o sonho da casa própria sem poder comprar um imóvel à vista.

Além de tornar esse sonho realidade, o indivíduo não precisa se preocupar em viver de aluguel. O dinheiro que ele gastaria com essa despesa pode ser utilizado para pagar as prestações da própria casa, tendo a certeza de que a quantia está sendo bem investida.

Outra vantagem é a possibilidade de mudar-se imediatamente para o novo cantinho, não havendo a necessidade de esperá-lo ser construído. Por fim, o financiamento permite que você liquide o montante que ainda precisa ser pago no futuro, caso tenha condições financeiras para terminar de pagar as parcelas. 

Planejamento financeiro


Uma vez que o financiamento envolve o pagamento de parcelas durante um longo período, é imprescindível que a pessoa faça um planejamento financeiro adequado. Isso é importante para evitar que o sonho de ter a casa própria se transforme em um pesadelo, com dívidas difíceis de serem pagas.

Dessa forma, é necessário realizar um levantamento da renda e dos gastos mensais. Com isso no papel, fica mais claro ver quanto a pessoa tem à disposição para pagar as parcelas do financiamento. Essa verificação também permite que a pessoa estude quais despesas podem ser cortadas, uma vez que as parcelas serão prioridade.

Uma vez feito isso, é fundamental que a pessoa também tenha disciplina e comprometimento para não exagerar nas despesas. Ela deve procurar sempre evitar gastar a renda com o que não é necessário, para não prejudicar o próprio orçamento e correr o risco de ficar no vermelho. 

Requisitos


Para fazer o pedido de financiamento, o indivíduo precisa cumprir alguns pré-requisitos. Ele deve ser brasileiro (nato ou naturalizado), maior de 18 anos e comprovar que mora, ao menos, a um ano na cidade onde planeja financiar o imóvel.

A instituição financeira também analisa o histórico do interessado, para garantir que ele é um bom pagador. Para isso, ela verifica o Cadastro Positivo, um programa do Serasa Experian. Uma vez que ela constatar que a pessoa não tem nome sujo e paga as contas em dia, a liberação do financiamento é facilitada.

O próximo passo é a apresentação de alguns documentos, quando é feita a análise de crédito do cliente. Essa análise irá determinar o valor total do empréstimo, o preço de cada parcela e o prazo de pagamento. Por isso, o ideal é que você procure por um imóvel que seja condizente com as prestações que pode pagar.

Os documentos exigidos são RG e CPF (original e cópia), comprovante de estado civil e comprovante de renda. No caso de pessoas casadas ou com união estável, também é exigido a documentação do cônjuge.

O comprovante de renda é um dos principais documentos a serem apresentados. Normalmente, os bancos limitam o valor da prestação a 30% da renda do interessado, então, ele determinará um papel crucial no financiamento.