Comparação entre carreira pública e iniciativa privada mostra que vantagens vão além da estabilidade

prestar concurso público uma boa opção

Quando se fala em concurso público, algumas certezas vêm de imediato à mente: estabilidade profissional, segurança financeira e a necessidade de estudar muito. Este último ponto costuma ser definidor e o que faz muitas pessoas desistirem de tentar ingressar nesse perfil de carreira.

A concorrência é sempre um grande desafio, mas há 54 mil vagas públicas ofertadas recentemente por municípios, estados e a União. O importante é ficar atento aos concursos abertos e se preparar para as provas.

Buscar um cursinho especializado ou iniciar a rotina de estudos de maneira independente é o primeiro passo para correr atrás das oportunidades. Há plataformas gratuitas que disponibilizam simulados de concursos de todas as áreas e instituições organizadoras, com milhares de questões resolvidas e comentadas e ainda geram rankings dos melhores pontuadores e gabaritadores.

Resolver questões e simulados é a maneira mais eficiente de adquirir conhecimento para passar em concursos e vestibulares. As estatísticas acessíveis permitem ter uma ideia sobre como um candidato está diante da concorrência.

Carreira pública x iniciativa privada


A estabilidade profissional e a segurança financeira da carreira pública vêm do fato de que, após três anos de trabalho, o profissional concursado só pode ser demitido por causas graves. Outra vantagem é que os salários da maioria dos cargos costumam ser mais atrativos do que os do setor privado.

Ainda que haja períodos de crise econômica ou de qualquer outra natureza, este perfil de trabalhador não sofre os impactos e as instabilidades da mesma maneira que o das empresas do mercado.

Para complementar, os benefícios garantidos ao servidor público dificilmente são conferidos aos profissionais do setor privado. Reajustes salariais são assegurados de acordo com os anos trabalhados e o chamado plano de carreira previsto em lei. Nas empresas, a remuneração e os ajustes dependem de acordos coletivos negociados ano a ano.

A carga horária também é menos extensa para servidores públicos. Horas-extras não são comuns e os recessos contribuem para que os funcionários tenham melhor qualidade de vida. Alguns tipos de licença também conferem prêmios e períodos mais longos de ausência por questões pessoais com remuneração.

Ao final da carreira, o funcionalismo público ainda tem garantia de aposentadoria integral, com base no que ganhou no último cargo ocupado. Este é um ponto crítico para profissionais do mercado privado que, na maioria das vezes, veem sua renda cair drasticamente ao se aposentar, necessitando inclusive de se manter trabalhando para cobrir os gastos mensais.

Outro fator interessante é que grande parte dos concursos dá a chance de pessoas recém-formadas ingressarem no mercado de trabalho em vagas promissoras, mesmo com pouca ou nenhuma comprovação de experiência. Pela série de exigência dos editais, as chances de aprovação e contratação acabam padronizando o processo e promovendo chances iguais aos candidatos.