Modelos com novas tecnologias devem chegar ao mercado brasileiro até 2024, mas alguns estão previstos para serem lançados ainda em 2021.

Fiat e Jeep

Como tudo na vida, os carros também evoluem e se transformam ao longo dos anos. Entre as tecnologias que têm se destacado no setor está o motor turbo 1.0 e o 1.3 da Fiat e da Jeep, que devem chegar ainda em 2021 ao mercado. Ambos já fazem parte da linha produtiva nos carros novos das marcas e trazem inúmeras vantagens, como melhor potência e mais rendimento dos combustíveis, aspectos fundamentais para a economia, seja de etanol ou gasolina.

Destaques da tecnologia no motor turbo 1.0 e 1.3


Essa tecnologia traz um novo cabeçote com coletor de escape integrado e quatro válvulas por cilindro, ao contrário das duas dos modelos anteriores. Os veículos 1.0 6V contam agora com 12 válvulas e os 1.3 8V possuem 16 válvulas. Todos têm sistema MultiAir de variação da abertura, além de comando acionado por corrente e sistema de injeção.

Dessa maneira, os motores flex de ambas as marcas estão com uma maior durabilidade, com melhor rendimento tanto na cidade quanto na estrada. Com isso, os carros 1.0 12V T3 (turbo de três cilindros) agora são capazes de produzir cerca de 120 cv de potência e 20 kgfm de torque, enquanto os 1.3 16V T4 (turbo de quatro cilindros) vêm com duas faixas de potência, com 150 cv e 25,5 kgfm.

Assim, os veículos da Fiat e da Jeep 1.0 e 1.4 estão com os dias contados e devem rodar até 2023, recebendo as atualizações para que se adequem aos novos modelos turbo, principalmente em razão das novas regras de redução na emissão de gases poluentes. Já há projetos, inclusive, para uma futura adaptação dos novos motores turbo 1.0 e 1.3 ao sistema elétrico.

Novidades do turbo 1.0 e 1.3 Fiat e Jeep


Esses motores turbo 1.0 e 1.3 trazem um novo MultiAir com uma função bem específica: ele abre as válvulas com mais rapidez, fazendo com que os gases da queima de combustível voltem a ser queimados. Isso reduz as emissões de óxido de nitrogênio na atmosfera, sendo mais sustentável.

Isso também influencia no controle da taxa de compressão efetiva do motor, o que controla a tendência de detonação, aspecto importantíssimo nos carros novos na versão flex. Na injeção, o destaque fica por conta da posição, garantindo menor contato do spray com a parede de cilindros.

Isso contribui para uma melhor mistura com o ar, aspecto que compromete menos o filme do óleo nas paredes do cilindro. O gerenciamento térmico também está diferente, com o bloco de alumínio alcançando mais rapidamente a temperatura ideal. Tudo isso traz ganhos na potência e confiabilidade do conjunto de peças.

Podemos citar, ainda, o fluxo de ar do motor, que está mais otimizado nessas versões, garantindo respostas mais rápidas. Com baixa inércia, o turbo tem o coletor de escape integrado ao cabeçote, ponto que diminui o turbo lag, ou seja, o tempo de aquecimento do motor e do catalisador. Além disso, a válvula termostática é eletrônica, sendo comandada por uma centralina.

Modelos que contam com motores turbo 1.0 e 1.3


Começando pelos de turbo 1.0, podemos citar o Jeep Renegade previsto para o primeiro semestre de 2022, o Fiat Strada até 2024 e os Fiat Argos e Cronos, que passarão por uma renovação até 2022. Já entre os de 1.3 turbo, estão o Jeep Renegade e o SUV Cupê médio (também na versão 1.0 previsto para o primeiro semestre de 2022). Ou seja: essas novas tecnologias têm tudo para serem tendência no mercado.