Respeito às tradições e à variedade de temperos ajuda a justificar o fascínio dos turistas pela culinária baiana.

Quem já teve a oportunidade de ir à Bahia sabe que uma das principais atrações do lugar é a culinária. Rico, histórico e diverso, o estado é uma das maiores referências nacionais, motivo que orgulha os habitantes, atraindo turistas do Brasil e do mundo para experimentar os sabores.

Comidas típicas da Bahia



Contudo, por que as comidas típicas do estado fazem todo esse sucesso? Neste texto, entenda as principais características que colaboram para o destaque da culinária baiana. Ao final, ficará claro que você deve correr para garantir uma passagem para Salvador quanto antes.

Segredos do sucesso


Algumas características da cultura e da culinária baiana ajudam a justificar o sucesso entre os turistas. Uma delas é a rica diversidade que compõe os sabores e as cores dos pratos preparados no estado. Isso se deve graças às influências de culturas variadas, como indígenas, africanas e portuguesas, que se misturaram e criaram comidas únicas.

Esses pratos são possíveis por causa da agricultura da região, que cultiva alimentos como cacau, cana-de-açúcar, milho, coco e feijão. O clima favorece o crescimento dessas plantações, que servem de matéria-prima para ingredientes usados na cozinha baiana, como leite de coco, gengibre, pimenta e azeite de dendê.

Inclusive, os temperos são um dos principais motivos que justificam o sucesso dessa culinária. Pimenta-malagueta, coentro, cominho em pó e açafrão-da-terra são exemplos utilizados nos pratos principais, como moquecas, acarajé, vatapá e cuscuz. São esses ingredientes que aprimoram os alimentos e dão um sabor diferenciado à comida.

Como muita coisa é produzida no próprio estado, o custo dos pratos típicos acaba sendo reduzido, o que é outra vantagem. Isso faz com que a culinária baiana tenha um grande apelo à cozinha familiar, de modo que tanto os turistas quanto os moradores possam impulsionar e saborear a gastronomia local.

A preocupação em preservar a cultura e a tradição baiana é outra característica que pode ser percebida na culinária, uma vez que se estende a essa área. Muitos pratos de origem africana, por exemplo, estão ligados aos terreiros de candomblé, feitos como oferendas aos orixás.

Um exemplo dessa prática é o abará, um bolinho de milho ou arroz, servido como acompanhamento ou sobremesa. De origem africana, ele é outra oferenda para os orixás. Esse tipo de prática ajuda a preservar as tradições dos povos que constituem o estado e, consequentemente, a culinária local.

Pratos mais famosos


O estado conta com uma verdadeira seleção de pratos típicos, cada um mais delicioso que o outro. Um deles é a moqueca baiana, um ensopado de peixe, frutos do mar e tomates. O diferencial é a presença do dendê e do leite de coco na preparação.

O bobó de camarão é outro prato que chama a atenção dos turistas. Ele é feito de camarões refogados com mandioca, cebola, pimentão, alho, pimenta, azeite de oliva e dendê. O aspecto final lembra o da moqueca, porém ele é mais denso.

Nessa lista, não poderia faltar o acarajé. Ele é um bolinho de feijão, frito no azeite de dendê, recheado com camarão, vinagrete e vatapá. Outra opção é rechear a mistura com o caruru, um creme de quiabo típico da Bahia.

Por falar em vatapá, esse é outro prato de origem africana, típico do estado. Feito a partir de pão francês, amendoim, farinha de mandioca, castanha de caju, leite de coco, gengibre e camarão, trata-se de um delicioso creme, que pode complementar a receita do acarajé ou ser consumido sozinho.

Para fechar a lista, é preciso falar da tapioca. Ela tem origem indígena e é feita à base de mandioca, sendo um dos pratos mais comuns da Bahia. Também chamado de “beijú”, esse prato pode ser consumido no café da manhã, no almoço ou no jantar. O recheio pode ser variado, incluindo desde carne seca até camarão e caranguejo.