Transfusões são essenciais em tratamentos de algumas doenças animais; saiba se o seu amigo pode ajudar a salvar outros pets

Cães e gatos podem doar sangue

Doar sangue é um ato que pode salvar vidas. O que muita gente não sabe é que essa frase não é válida apenas para os humanos. Você sabia que o seu cão ou gato podem ser doadores? Isso mesmo. Os animais também precisam de transfusões e, consequentemente, de outros pets que façam doações.

Um hospital veterinário próximo a sua casa pode estar precisando de doação de sangue animal. O procedimento tem alguns pré-requisitos, mas é simples, rápido e ainda pode salvar a vida de outro animalzinho que não está tão bem de saúde quanto o seu amigo.

Algumas doenças autoimunes e a anemia são exemplos de situações em que os pets podem precisar de doação de sangue. Além disso, animais que sofrem algum tipo de acidente também podem ter essa necessidade. Como os nossos pets são responsabilidade nossa, dependem da nossa decisão para poderem doar.

Uma grande vantagem é que levar o seu animal para doar sangue significa um check-up gratuito, já que ele precisará passar por vários exames para garantir que o sangue está saudável e pode ser utilizado em transfusões. A maioria dos animais pode doar regularmente, com intervalos de, pelo menos, 3 meses.

Conheça os critérios


Quer saber se o seu cachorro ou gato pode doar? Na maioria dos bancos de sangue, a exigência é que o animal tenha comportamento dócil, uma vez que o procedimento é feito com ele acordado. Além disso, os principais critérios tanto para cães quanto para gatos são:

  • ter mais de um ano de idade;
  • estar com a vacinação e a vermifugação em dia;
  • não ter nenhuma doença crônica;
  • não fazer uso de medicamento de uso contínuo;
  • nunca ter sido submetido a uma transfusão de sangue;
  • não ter pulgas e nem carrapatos;
  • fêmeas não podem estar em período gestacional.

Os gatos devem ter, no máximo, 7 anos de idade, pesar mais de 4 quilos e podem doar até 40 ml de sangue. Os cachorros não devem ter mais que 8 anos de idade, precisam pesar mais de 25 quilos e podem doar até 450 ml de sangue.

Eles também têm tipo sanguíneo


Todos os animais que se encaixam nos critérios acima podem doar sangue para outros pets. No entanto, para receber, a compatibilidade entre doador e receptor precisa ser avaliada. É importante lembrar que cães não podem doar para gatos e vice-versa.

Entre os cachorros, já foram catalogados mais de 20 tipos de sangue diferentes que podem variar, inclusive, entre animais da mesma raça. O tipo DEA 4 é considerado doador universal entre os cachorros. Entre os gatos, os tipos sanguíneos são 3, mas a maioria tem sangue tipo A.

Cuidados antes e depois do procedimento


A recomendação é que tanto cães quanto gatos fiquem em jejum de, pelo menos, 4 horas antes do procedimento. Logo depois, a maioria dos bancos de sangue oferece um petisco como agrado para os animais doadores. A presença do tutor durante o processo é importante para que o animal se sinta seguro e fique calmo.

O procedimento não dói — só mesmo a picadinha da agulha —, dura cerca de 15 minutos e não oferece nenhum risco à saúde do pet doador. Em geral, o acesso se dá pelo pescoço ou pelas patinhas e o sangue coletado vai para uma bolsa, num procedimento muito similar ao feito com doações de sangue humano.

Assim como acontece com a gente, o animal pode ficar um pouco fraco ou desanimado nas primeiras 24 horas, mas nada que seja preocupante. A dica é reforçar o carinho e a atenção durante esse período, afinal o seu amigo acaba de fazer uma boa ação.